sexta-feira, 8 de maio de 2009

Preconceito, atraso e discriminação.

Ontem fiz uma atividade rotineira, tomei o ônibus em um ponto aqui perto da minha casa rumando para a faculdade, acostumado com a presença de muitas pessoas no ônibus eu nem sonho em fazer o trajeto sentado, porém, assim que eu entrei no ônibus ontem percebi que tinha um lugar logo após de cruzar a roleta, imediatamente peguei o dinheiro em meu bolso e logo fui pagando para o cobrador, atravessei a roleta com pressa pois mais ou menos no meio do ônibus havia um sujeito, que quando percebeu este lugar vazio logo foi se inquietando, por fim consegui sentar.

Aproveitando esse momento de repouso, retirei de minha mochila um livro " Que é história" cujo o autor se chama K.Carr, livro que a professora de IEHistoricos pediu que fosse lido pois iremos realizar um trabalho sobre esse livro.

A trajeto da minha casa à universidade é longo, aproximandamente 1 hora, período que daria para eu ler boas páginas do livro e adiantar minha leitura, porém, eu percebi de canto de olho que algumas pessoas me olhavam, olhavam o livro, comentavam com amigos ao lado, coisas que não consegui ouvir, e esse ato ia se repetindo a quase todo passeiro novo que embarcava no ônibus, de sua quase totalidade imagino eu, de pessoa voltando do trabalho.

Indignado com esses olhares espantados, talvez porque eu não tenha "cara de CDF", não use óculos e tudo mais, por eu não ter esses esteriotipos que todos nós conhecemos que faz parte de um pré-conceito. Começei a fugir do foco, começei a pensar sobre o que estava acontecendo.

Ontem pude perceber e confirmar que a sociedade brasileira não está acostumada a esse tipo de educação, de informação, logo nos tempo de hoje, onde informações chegam por todos os lados o simples ato da leitura causa estranheza em determinados locais públicos e privados, até mesmo na escola, quando se tem um aluno que se volta mais para a leitura ou melhor o conhecimento, esse aluno é taxado como "NERD". Esse tipo de preconceito que é demostrado pelas pessoas do ônibus que peguei ontem, ou em qualquer ônibus desse país, é hierárquico, enraizado em nossas mente quando ainda estamos em processo de formação do cidadão, seja na família, seja na escola ou em qualquer ciclo social.

Essa é a minha revolta, esse é meu questionamento.
Abra sua cabeça, discuta idéias isso fará de você um cidadão melhor!

Roberto Peres.

3 comentários:

Crazy Mary disse...

Eu tb sofro esse tipo de preconceito! É estranho, irracional. Vc é estranho só pq busca saber mais e não se conforma em absorver oq a tv e a progapanda cospem em vc? Por isso eu prefiro ser estranha. Por falar nisso, Oi estranho! rs Bem vindo de volta.

Gabriel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriel disse...

Certa vez um grupo de ciêntistas fizeram uma experiencia com um grupo de macacos.
Colocaram cinco macacos em um quarto, ao centro uma escada com uma penca de bananas ao topo da mesma.
Com o desejo incontrolavel um macaco subiu os degraus da escada para comer as bananas, e intão os cientistas jogaram um jato d'água nos demais macacos que retiraram o macaco que subiu na escada de lá e o surraram. Então com o passar dos tempos com isso se repetindo, nenhum macaco mais subia na escada para comer as bananas.
Os cientistas trocaram um macaco, que ao chegar foi logo tratando de subir as escadas e logo arrancado de lá pelos outros membros do grupo, após algumas surras esse recém chegado não mais subia a escada. E assim foi com o seu sucessor, que foi muito surrado tambem pelo primeiro macaco que deixara de ser o calouro da turma...
Assim foi sendo trocado os macacos, o terceiro, o quarto e por fim, o último macaco, o mais veterano. Então os cientistas puderam analisar o seguinte, que aquele novo grupo sem nenhum macaco nunca ter tomado um jato d'água continuava a surrar aquele que tentasse subir as escadas. Se fosse possivel perguntar aos macacos : "Porque surram o macaco que tenta subir as escadas para ter as bananas?". Provavelmente responderiam " Não sei, mais por aqui sempre foi assim!" Preconceito é burrice!!!!!! Mas mais burro é aquele que acha que preconceito não existe!!!